Até agora, foi pouca a repercussão da denúncia feita pelo presidente do Santos, José Carlos Peres, no programa Mesa Redonda, da TV Gazeta. Ele disse que a corrupção no futebol brasileiro é tão grande que nenhum clube resistiria a uma operação semelhante à “Lava-Jato”.
Que existe uma podridão nos bastidores do futebol, isso não é surpresa pra ninguém. Mas um cartola de um clube grande como o Santos levantar essa questão num programa de TV é algo incomum. O que ele sabe? O que tem a dizer? E é assustador que ninguém tome providências, que o Ministério Público ou o próprio Governo Federal não busquem explicações para essas suspeitas.
O Santos, curiosamente, tem sido o clube menos `gastador` neste início de temporada. Seja por falta de dinheiro ou mesmo por ter perdido recentemente o patrocínio da Caixa, o presidente José Carlos Peres não está fazendo loucuras, como outros grandes clubes do País.
“Tínhamos contrato com um banco, e agora estamos trabalhando com outro para substituir. Falei com o Andrés Sanchez e o Luis Paulo Rosenberg também, sobre a dificuldade de se encontrar um patrocínio máster. A bolha furou”, disse Peres no mesmo programa da Gazeta. E concluiu:
“Temos um novo Presidente da República que está prometendo que banco estatais não vão patrocinar o futebol. E eu estou de pleno acordo. O futebol tem que ter dono. Enquanto não tiver, não tem solução”.

4 Comentarios

  1. Nenhuma instituição do Brasil resistiria a uma “Lava-Jato”.

  2. Pelo contrário, o futebol brasileiro sairia fortalecido. E seria tão bom ver certos dirigentes de algemas e com dinheiro confiscado, aqui e no exterior…se o torcedor tivesse um mínimo de consciência do que ocorre, e os clubes não fossem feudos com eleições manipuladas por essa escória, já bastaria para tudo vir à tona.

  3. Mas um dia vai ter um Lava Bola.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare