Captura de Tela 2017-08-07 às 20.03.22“Quando ele marcou aquele gol no Real Madrid, eu disse a mim mesmo que tínhamos encontrado o novo Ronaldo. Mas vindo das favelas, isso me assustou porque eu estava lá e vi o perigo que é uma pessoa ficar rica a partir do zero. Tudo se torna mais insidioso. Quando veio a notícia que anunciou a morte de seu pai, eu estava junto dele, na sala: ele bateu o telefone longe e começou a gritar de uma forma que você não pode imaginar. Tremo só até hoje. A partir daquele dia, eu e Massimo Moratti passamos a tratar Adriano como um irmão mais novo. Ele continuou a jogar futebol, fazer gols e dedicar o pai apontando para o céu. Mas após esse telefonema, nada mais foi a mesma”, JAVIER ZANETTI, argentino que foi companheiro de Adriano Imperador na Inter de Milão.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare