No blog do Jorge Nicola (Yahoo) – A dificuldade com o fluxo de caixa e a crise no relacionamento com a Crefisa fizeram com que a dívida do Palmeiras com seu presidente aumentasse consideravelmente em 2016. Paulo Nobre já colocou R$ 22 milhões nos cofres do clube desde o primeiro dia do ano.

Foram R$ 8,9 milhões em janeiro, além de R$ 6,5 milhões em março e mais R$ 6,5 milhões no início de abril — as duas últimas remessas equivalem ao dinheiro que a Crefisa deixou de bancar pelo patrocínio e ajudam no pagamento dos salários.

Dessa maneira, o total de dinheiro injetado por Nobre desde que ele se tornou presidente, em janeiro de 2013, ultrapassou os R$ 200 milhões. Até o ano passado, a conta era de R$ 180 milhões — R$ 40 milhões foram abatidos, porque ele assumiu os direitos de Allione, Mouche, Cristaldo, Tobio e Mendieta.

Os R$ 22 milhões emprestados em 2016, provavelmente, não entrarão no acordo aprovado pelo Conselho Deliberativo do Palmeiras, dando a Nobre o direito de ficar com 10% da arrecadação do clube por mês.

A tendência é de que ele recupere a maior parte do dinheiro assim que a Crefisa depositar os R$ 13 milhões pendentes, referentes a março e abril.

1 Comentário

  1. Só quero ver a hora que ele deixar de ser presidente.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare