5da5ac2ae2abd46bc40644cb0e3ec45f
Foi uma surpresa para a mídia esportiva o pedido de demissão de Tata Martino da seleção da Argentina. Ele até que tinha o respaldo da AFA (apesar de não ganhar nada), mas estava com medo do boicote dos times locais, que se recusam a ceder jogadores para os Jogos do Rio.
Ontem, quem também pediu o boné foi Vicente Del Bosque, da Espanha. “O presidente da federação, Ángel María Villar, e o técnico da seleção tiveram uma reunião em Madrid em que o treinador manifestou a sua ideia de não continuar à frente da equipe nacional”, disse a entidade em uma nota em seu site oficial.
Uma semana atrás, Roy Hodgson, da Inglaterra, nem esperou começar a pressão para que ele deixasse o cargo e, assim que acabou o jogo que causou a eliminação na Eurocopa, falou com a imprensa para anunciar seu pedido de demissão.
Em todo canto é assim: se o cara não consegue resultados, ele pede pra sair e deixa que alguém tente fazer o que ele não foi capaz.
Menos aqui no Brasil. Recorde-se que Felipão – apesar dos 7×1 – tinha a espanca de permanecer na seleção. Dunga, também não queria largar o osso de jeito nenhum.
Brasileiro é assim: gosta de uma “boquinha”.

1 Comentário

  1. Eu penso igual. Deveriam ter mais hombridade e sair por conta própria quando seus resultados são medíocres. Ficaria menos feio pra eles.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare