Junino Pernambucano, numa entrevista ao El Pais, detona jornalistas esportivos do Brasil e reclama de uma postagem minha (nesse blog e no portal Terceiro Tempo).
“Quando fui pra imprensa, me assustei com o desconhecimento generalizado. O futebol mudou muito. Chegaram a ciência, a nutrição, a psicologia, a análise de desempenho… Hoje o jogador corre muito mais, tem mais músculos, reage mais rápido. O espaço no campo ficou reduzido. Só que a imprensa ainda não entendeu essa evolução. Ela se agarra ao saudosismo: “Ah, mas no tempo de fulano era assim”. Não são todos, mas a maioria dos jornalistas desconhece o jogo. Grande parte da imprensa joga contra a evolução do futebol. Eles [jornalistas] precisam da gente, os ex-jogadores, para complementar o que não conseguem enxergar. Fui censurado na Globo por denunciar que tinha setorista vendido, que se envolve com sacanagem. É o setorista que pauta o noticiário, porque cobre de perto os jogos e treinamentos. Quando ele se prostitui, fode o ambiente no clube. É preciso combater o que tá errado lá embaixo na cadeia de produção do jornalismo para pautar coisas mais sérias. E aí, em pleno ano de 2018, sofri censura ao vivo na TV. Nenhum jornalista me defendeu. Pelo contrário, ainda fui humilhado pelo Milton Neves [apresentador da Band], que deu uma tuitada me ridicularizando . Antes, já tinha recebido ameaças de torcedores. Se eu fui censurado e ameaçado, significa que toda a imprensa também foi, meu amigo. E ninguém compreendeu isso, talvez por ignorância ou medo de perder o emprego”, JUNINO PERNAMBUCANO, numa entrevista ao jornal El Pais.

5 Comentarios

  1. O MAIOR BATEDOR DE FALTA DO MUNDO,ETERNO REIZINHO DA COLINA.

  2. Ele pode ter muita razão no que diz, mas não sabia que a Globo gosta de censurar os jornalistas quando foi pra lá? Não sei…, acho que o buraco é mais embaixo nesse rolo de Juninho com a Platinada.

  3. Ele tem razão, sabemos que há jornalistas desonestos – material e/ou intelectualmente. Chego a pensar, às vezes, que o jornalismo é um meio tão putrefato quanto a política. Juninho manja muito, mas esqueceu que isso não é o bastante. Há que se fechar os olhos e os ouvidos (e a boca) pra muita coisa…ou ele é ingênuo, ou não quis compactuar. De qualquer forma, tem o meu respeito…

  4. Acredito que não soube lidar com a nova profissão fora das 4 linhas. Cada órgão da imprensa ou Empresa ,tem sua linha de atuação, Juninho não entendeu e não quis saber a linha de conduta de sua Empregadora.Monte um órgão de imprensa, vai empregar N pessoas cada uma com seu posicionamento e sem critérios , depois apresente como exemplo para outros seguirem.Vá chorar na cama que é lugar quente.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare