Depois da péssima repercussão em live com Bolsonaro, o ex-jogador Marcelinho Carioca acabou perdendo um contrato de publicidade, informa a Veja on-line. A aparição nas redes caiu muito mal entre os torcedores do Corinthians, cuja camisa foi usada pelo presidente.
O encontro também gerou constrangimento na diretoria do Corinthians e no banco BMG, seu patrocinador. O clube se apressou em dizer que não tinha qualquer relação com o encontro
Além disso, o ex-jogador Casagrande também detonou Marcelinho:
“Eu cheguei em 1975 nesse clube aqui, no Corinthians, comecei minha vida lá, corintiano de garoto, cheguei para jogar no dente de leite, nas categorias de base do Corinthians. Em 1979, a torcida do Corinthians abriu uma faixa no Pacaembu dizendo “anistia para os presos políticos e exilados políticos”. Em 1982, 1983, até 1985 essa camisa aqui era da democracia corintiana, essa camisa representa liberdade, representa democracia, e nenhum ex-jogador tem o direito de representar o clube politicamente. Eu também não tenho. Isso aqui é democracia. Isso aqui sempre foi democracia”, disse o comentarista da Globo.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare