No atual formato da comunicação, a mensagem não termina com o jornalista, repórter ou comentarista. Hoje, os torcedores são parte ativa no processo e, portanto, é preciso não só pensar no conteúdo, mas em como ele será recebido.

Nesta quarta-feira, durante o programa Expediente Futebol, do canal Fox Sports, o jornalista Leandro Quesada tratou de forma extremamente desrespeitosa os atletas Aguilar e Soteldo, contratados recentemente pelo Clube. Além de ofensivo, o termo utilizado também é uma forma de xenofobia, já que foi utilizado em referência a um jogador venezuelano e um colombiano.

Esse tipo de atitude cria na torcida santista um sentimento de raiva em relação à imprensa que o Santos FC tenta evitar a todo custo, já que não há nenhum interesse do Clube em que haja esse tipo de relação hostil.

O clube compreende que os altos custos fizeram com que grande parte da grade dos canais esportivos hoje seja preenchida com programas de muitas discussões e palpites e pouquíssima informação. Mas o respeito, a ética e o caráter seguem como princípios básicos para o exercício do bom jornalismo, independentemente da forma como ele seja apresentado.

O Santos FC pede para que os torcedores não tenham reações negativas e extremas em relação à opinião dos jornalistas sobre o time, mas para isso também pede que determinados profissionais da imprensa deixem o clubismo de lado e tenham o mínimo de respeito na forma em que tratam o Clube.

O mínimo que o Santos FC espera do canal Fox Sports é um pedido de desculpas à toda torcida santista pelo termo utilizado pelo jornalista para se referir aos atletas.

Por fim, o Clube espera que a relação com a imprensa seja sempre profissional e de respeito mútuo, mas o Santos FC irá a público para se posicionar todas as vezes em que entenda que a instituição e seus torcedores não sejam tratados da maneira que merecem.

3 Comentarios

  1. “Quem fala demais , dá bom dia a cavalo” dito popular .

  2. Eu entendi o que ele quis dizer e a preocupação dele é a mesma que muito torcedor do Santos tem. É complicado o técnico querer montar um time cheio de estrangeiros sendo que existem inúmeras barreiras para jogador de fora aqui no Brasil para fazer sucesso. Não pareceu que Quesada falou por mal, mas o termo é forte e os jogadores têm direito de se sentirem ofendidos.

  3. Chamou os caras de cucarachos, por acaso?

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare