O Grêmio precisava jogar hoje como jogou no primeiro jogo da semifinal, contra o Barcelona, em Guayaquil. No segundo jogo, contra o mesmo Barcelona, já não foi tão bem.
Hoje, na sua Arena, parecia que o Lanús estava jogando em casa. Fechou-se na defesa, como era de se esperar, mas quando partia para o ataque conseguia fazer estragos.
Mas o Grêmio mostrou muita garra. Ninguém foi excepcional individualmente – nem o craque Luan – mas todos correram muito.
Renato Gaúcho foi feliz na substituição. Salvo engano, quando Cícero entrou, o volante Jailson pareceu aborrecido. Mas foi a estrela de Cícero, numa jogada aérea, na altura dos 40 minutos do segundo tempo, que levou o time gaúcho à vitória.
Semana que vem vai ser  uma batalha na Argentina. O Grêmio (repito!) precisa jogar como em Guayaquil.
E Renato precisa observar melhor as imagens do seu espião do drone para evitar surpresas desagradáveis. No jogo de hoje o ‘espião’ não ajudou em quase nada.
unnamed (3)

5 Comentarios

  1. Não ajudou, hoje, e não ajudará, na semana que vem. Se tiver que ganhar, será por detalhes, que não incluem o drone, como ocorreu hoje, aliás. Bola solitária na área….

  2. Pois é, vantagem mínima joga pelo empate. Vai ter que jogar muito lá na Argentina, deixou a desejar nesse primeiro jogo.

  3. Foi muito pouco. O Grêmio vai ter que suar um bocado pra levar esse título e ter um psicológico forte pra aturar esses argentinos na casa deles. Difícil.

  4. Juiz paraguaio na Argentina? Faz lembrar o juiz paraguaio que arrebentou o Corinthians no Pacaembu contra o Boca Junior.

  5. Juiz paraguaio na Argentina? Faz lembrar o juiz paraguaio que arrebentou o Corinthians no Pacaembu contra o Boca Junior.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare