Captura de Tela 2018-04-17 às 13.44.18
No Estadão (Por Ciro Campos) – O Conselho de Orientação e Fiscalização (COF) do Palmeirasquer que o presidente do clube, Mauricio Galiotte, tome atitudes sobre o acordo em vigor com a Crefisa para contratar jogadores. Em parecer encaminhado ao mandatário do clube, o órgão pede mudanças – entre elas, que a patrocinadora não coloque mais dinheiro em reforços e também um plano de metas para negociar quem chegou ao time com o aporte da empresa.
A reportagem do Estado teve acesso à cópia do relatório elaborado pelo COF sobre a relação do clube com a Crefisa e o comunicado com as sugestões de mudanças (veja mais abaixo). O documento foi enviado em 26 de março ao presidente do Palmeiras e assinado pelo presidente do órgão, Carlos Afonso Della Monica.
O relatório de oito páginas foi encomendado pelo COF a um grupo de cinco conselheiros. O texto tem entre as principais sugestões não recorrer mais à Crefisa para contratar jogadores, além do pedido para o departamento de futebol criar um plano de metas para vender quem foi trazido com a verba da empresa – nove atletas do elenco atual chegaram assim.
A motivação para os questionamentos foi a alteração contratual revelada pelo Estadão em janeiro. Os reforços bancados pela Crefisa deixaram de ser contabilizados pela empresa como compras de propriedades de marketing dos atletas para serem configurados como empréstimos.
A alteração foi firmada com aditivos contratuais em dezembro de 2017 e janeiro deste ano e foram elaborados para evitar novos problemas para a Crefisa. No ano passado a empresa foi multada em R$ 30 milhões pela Receita Federal, que considerou irregular o formato anterior para trazer reforços.
O relatório do COF sugere a Galiotte reavaliar o novo acordo por implicar ao clube devolver dinheiro à empresa uma quantia chamada de “vultosa”. Se antes a Crefisa assumia o prejuízo caso o jogador contratado fosse revendido por um valor abaixo, agora o Palmeiras terá até dois anos depois da saída do atleta para devolver a diferença, com correção de valor pela CDI, de 0,5% ao mês.

3 Comentarios

  1. Esse casamento ainda vai terminar em divórcio…

  2. Leitor *Paulo
    Nada contra a opinião de quem se posiciona contra a parceria Crefisa /Palmeiras, mais fazem o seguinte :Deixem a empresa e o clube em paz ,O que tem de Jornalistas com inveja da parceria, querendo queimar ambos, se está dando certo dentro de campo ou não, isso é problema do clube ,agora esses conselheiros que vivem querendo mamar nas tetas do clube ,ficam querendo formar Conselho e não sei mais o quer (pra vender jogadores da parceria, vão cuidar e se preocupar com os negócios de vocês

    • Eu não sou contra a parceria. Quem tem que decidir isso são os conselheiros do clube. Se o farão de forma independente ou não, não sei, mas, dado o histórico de más administrações nos clubes brasileiros, espera-se o pior…

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare