1ad78176eba3da290c1ca4cbda379dca
O Palmeiras já pagou mais de R$ 110 milhões a Paulo Nobre pelos empréstimos que o ex-presidente fez quando esteve à frente do clube, informa Thiago Ferri, no jornal Lance. A dívida começou em R$ 146 milhões, mas hoje está em cerca de R$ 35 milhões.
Os pagamentos eram feitos por meio de dois fundos bancários, e um já foi totalmente quitado, em abril, de R$ 43 milhões. O que resta é da primeira parte da dívida, inicialmente de R$ 103 milhões – o Verdão paga mensalmente 10% de sua renda bruta para amortizar. Desde abril de 2015, quando o pagamento desse fundo começou a ser feito, Paulo recebeu R$ 68 milhões.
No último ano de gestão, Nobre gastou mais R$ 14 milhões para contratar Mina e Róger Guedes. Tal valor não entra neste pagamento; a operação é semelhante às contratações com aporte da Crefisa: se vendê-los, ele é, no máximo, ressarcido com o valor investido. A diferença é que, assim como nas outras duas operações citadas, há o acréscimo de juros – até 1% ao mês, taxa considerada baixíssima. Os investimentos da patrocinadora não têm correção.
A dívida com Nobre começou em quase R$ 200 milhões, mas já tinha sido diminuída em outros R$ 43 milhões ainda na sua gestão, quando o clube lhe passou os direitos econômicos de Leandro, Mendieta (já vendido), Cristaldo (já vendido), Allione, Mouche e Tobio, todos contratados graças ao seu dinheiro. Após isso foi que restou os R$ 146 milhões.
Comentário meu – Apesar de caminhar para quitar a dívida financeira, o Palmeiras deve estar sentindo falta da gestão de Pulo Nobre. Com ele o time recuperou a grandeza e a dignidade. Com ele, o ambiente do clube era mais harmonioso. Com ele, o time foi campeão brasileiro.

2 Comentarios

  1. Nenhuma postagem sobre os jogos da Libertadores?

  2. Quem se importa com a Porcada, o time flope do ano????

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare