O Corinthians começa a recuar com seu “Corinthianismo”, campanha de marketing que compara o clube a uma religião, informa Samir Carvalho, no ‘UOL de Primeira’. O clube vetou a estreia da abertura do bandeirão da campanha no clássico contra o Santos por ceder à pressão de pessoas contrárias ao projeto, principalmente nas redes sociais.
“Devido a divisão da torcida, em função da popularização, dos que são a favor e os que são contra, nós decidimos não abrir o bandeirão [contra o Santos]”, disse o gerente de marketing, Caio Campos, ressaltando que “a campanha segue”. A pressão aumentou após um dos criadores do projeto, o ex-diretor de marketing, Luis Paulo Rosenberg, se envolver na polêmica da”mulher com HIV”. Além do símbolo oficial do Corinthianismo, a reportagem apurou que a peça carrega os seguintes dizeres: “Corinthians minha vida, minha religião, meu amor”, frase que não consta no vídeo (acima). O bandeirão preencheria toda arquibancada leste inferior.

4 Comentarios

  1. Nunca deveria ter surgido essa ideia. Deve ter partido do iconoclasta Rosenberg. Esse cara foi um erro desde o princípio…

  2. O Bom Senso deve prevalecer em todos os campos de nossas vidas, Religião é a busca da aproximação do Ser Humano, em fase de formação, com seu Superior máximo , Deus Supremo do Universo.Time de Futebol é apenas uma forma do ser humano aliviar suas agonias.Uma coisa é uma coisa , outra coisa é outra coisa, água e óleo não se misturam.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare