O Santa Cruz arrancou um heróico empate com a Chapecoense, ontem à noite, e manteve a liderança da Série A, agora com 6 pontos, embora exista a possibilidade de ser ultrapassado pelo Grêmio no complemento da rodada. Grafite desta vez passou em branco.
Mas, apesar do empate, aumentam em Pernambuco as comparações entre o Tricolor do Arruda e o Leicester, a sensação inglesa que saiu da Segunda Divisão e ganhou a Premier League. Veja o comentário de Thiago Wagner, no Blog do Torcedor (Jornal do Comércio-PE):
3f16f54bd6d4ea832af0432ea5bace1c
Foi só o Santa Cruz começar o Brasileirão na liderança para o torcedor coral comparar com o Leicester City, time inglês que surpreendeu os gigantes para ganhar o título inédito na Premier League. Surgiu até um apelido carinhoso da torcida, o “Leicester Santa”. Claro que ainda é cedo para cravar qualquer tipo de prognóstico. A lógica manda que os comandados de Milton Mendes não serão campeões. Só que a comparação pode ir além do fato das duas equipes terem pouco orçamento e liderarem seus campeonatos de maneira inesperada. O Tricolor pode ser um pouco mais semelhante com o time inglês do que se pensa.

A começar pela história das duas equipes. Tanto o Santa Cruz como o Leicester estiveram em divisões inferiores dos seus respectivos países. No caso dos corais, o fundo do poço foi a quarta divisão, enquanto que os ingleses chegaram a disputar a terceiro escalação do país. Ambos, porém, deram a virada e conseguiram o sucesso, cada um dentro do seu contexto, lógico.

Mas essa não é a principal semelhança entre os times. Dentro de campo, a dupla também tem outros aspectos similares. O primeiro deles é que tanto o Santa Cruz como o Leicester não são equipes que primam pela posse de bola. Na Série A, o Tricolor é o que menos tem a redonda nos pés até agora, com uma média de 42,7%. Fazendo a comparação com a Inglaterra, o Leicester foi o terceiro da Premier League em termos de posse de bola, com 44,8%. Isso porque teve que ficar mais tempo com ela nos pés na reta final do campeonato, quando enfrentou mais retrancas.

Além disso, as duas equipes apostam pouco no passe curto. O Santa é o que menos tenta esse tipo de jogada no Brasileirão, enquanto que os ingleses foram o terceiro pior neste aspecto. Essas características apontam que os times possuem posturas parecidas. Jogam esperando o adversário para tentar ataques precisos. Neste ponto, porém, também há diferenças entre as equipes. O Leicester sofreu em muitos jogos com a “goleada de 1×0”, enquanto que o Santa já tem o melhor ataque do campeonato, com dez gols em três jogos. Ou seja, os corais não chegam muito, como o clube inglês, mas ainda assim são mais ofensivos.

Só resta saber se o Tricolor vai incorporar outro aspecto do Leicester, o de superar todas as expectativas para ganhar o título. Esse, por sinal, é o principal aspecto que o torcedor coral deseja simular com os ingleses.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare