Boca e River fizeram a última final
Com raras exceções, poucos clubes brasileiros têm dinheiro em caixa para reforçar seus elencos. O Fluminense, por exemplo, adotou teto salarial de R$ 150 mil para as novas contratações e isso tem dificultado negociações.
E, dentre as exceções, estão Flamengo e Palmeiras. O Verdão fechou 2018 com receitas acima de R$ 650 milhões. Flamengo prevê faturar R$ 680 milhões em 2019. Os dois aparecem nas listas das 1.000 maiores empresas do Brasil.
O curioso é que, aqui no Brasil, gasta-se muito mais do que em outros países da América do Sul. De acordo com a Pluri Consultoria, os 20 clubes que disputam a 1ª divisão colombiana, juntos, faturam o mesmo que o Flamengo. Os 18 chilenos, menos que o São Paulo; Os 12 do Equador são iguais ao Santos;  e os 16 do Uruguai estão ali, equivalentes a um Vasco da Gama.
A pergunta que não quer calar é: por que  nós, brasileiros, com tanta superioridade financeira, não conseguimos ganhar a Libertadores todos os anos?

3 Comentarios

  1. Há diversos fatores que explicam isso, desde a deslealdade dos cucarachos, que tem muito menos a perder que nossos “craques” brasucas, até o fator Conmebola (muito mais importante do que se imagina), passando pelo “doping” (essa é uma desconfiança minha, um fato reconhecido, no passado, que eu creio que se repita no presente, de formas mais ocultas)…

  2. Porque eles têm mais “nervos” para jogar a Libertadores. Os brasileiros são facilmente intimidados.

  3. Não é nem ganhar a Libertadores, era pra não dar nem jogo. Como não dá jogo quando um grande europeu enfrenta um brasileiro ou argentino.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare