Na coluna Radar (Veja online) – O Tribunal de Justiça do Rio marcou para o dia 27 o julgamento da ação proposta pelo Ministério Público que questiona a eleição de Rogério Caboclo para a presidência da CBF.
Banido pela Fifa, Marco Polo del Nero trabalha fortemente para manter o afilhado no cargo.
Tem espalhado para aliados que é amigo Guaraci Vianna, um dos cinco desembargadores do TJ-RJ. 
O caso teve início em março de 2017, quando o deputado federal Otávio Leite (PSDB-RJ) entrou com uma representação na Procuradoria da República no Rio para que fosse anulada a assembleia geral da CBF. 
Isso porque o encontro, sem a presença dos clubes, aprovou um estatuto que dava mais peso ao voto das federações.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare