É uma canetada de um juiz de primeira instância e ainda cabe recurso. Mas a Justiça do Rio de Janeiro decidiu nesta segunda-feira pela nulidade da Assembleia Geral da CBF que mudou a forma de votação para a presidência de entidade. Com isso, a eleição de Rogério Caboclo para a presidência, em abril de 2018, está anulada.

De acordo com a sentença do juiz Mario Cunha Olinto Filho, da 2ª Vara Cível da Barra da Tijuca do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, o presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, e o presidente da Federação Paulista de Futebol, Reinaldo Carneiro Bastos, foram nomeados para comandar a entidade por 30 dias. Os dirigentes precisam aceitar a nomeação, o que ainda não aconteceu.

Neste período, eles terão como obrigação a “convocação do Colégio Eleitoral, composto pelas federações e times da Série A.

2 Comentarios

  1. Kkkkkkkkkkkkkkkk, nada é por acaso, o futebol está colhendo o que sempre plantou, ou seja, joio.

  2. É um absurdo nomear-se um presidente de clube para a presidência da CBF…Essa Justiça do RJ é bastante suspeita…O Flamengo já é o rei do VAR sem um torcedor na CBF, imaginem agora!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare