A arrancada do Flamengo na reta final (5 vitórias em 6 jogos) tem pelo menos uma explicação: o quarteto formado por Éverton Ribeiro, Arrascaeta, Bruno Henrique e Gabriel Barbosa esteve sempre presente e comandou o time de forma decisiva.
O técnico Rogério Ceni disfarça, tenta valorizar o “coletivo”, mas o torcedor não é bobo e sabe o que está acontecendo.

  “Eu não sei de nenhum time que vence pela qualidade individual. Um time defende como um todo, ataca como um todo. O coletivo sempre prevalece no individual. Não tiremos o mérito da individualidade. Mas isso aqui é o Flamengo, tem grandes jogadores. Na minha concepção de vida, o trabalho em grupo é sempre mais importante do que as individualidades. As jogadas dos dois gols foram coletivas”, diz Rogério.

Impossivel não admitir que – por causa desses quatro elementos – o Flamengo tem o melhor ataque, o que mais finalizou, e o que mais criou grandes chances no Brasileirão 2020

1 Comentário

  1. Mesmo uma temporada turbulenta, eles ainda podem ser campeões brasileiros. É um time com grande potencial mesmo.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare