A Globo responde na Justiça do Trabalho a um processo movido por uma ex-funcionária que acusa a emissora de ser conivente com assédio moral. A informação é de Gabriel Vaquer, em ‘Notícias da TV’. O abuso teria sido praticado por Carlos Cereto, que saiu do canal esportivo da Globo nesta quinta-feira (1º), depois de 20 anos. No processo, a ex-funcionária diz que Cereto a xingava e a fazia dar voltinhas na Redação para mostrar seu corpo.
O Notícias da TV teve acesso ao processo no fim de maio, antes mesmo de Cereto sacramentar sua saída da Globo. Nos autos, a ex-funcionária relata diversos fatos, confirmados por pelo menos três testemunhas que teriam visto a situação. Por questões de segurança, o nome da profissional é mantido sob sigilo.

2 Comentarios

  1. Mais um velho misógino expondo mulheres a constrangimento de gênero. Datena também tomou um processo por caso semelhante, mas recorreu, e a sentença se inverteu a seu favor, como calúnia e difamação por parte dela. Uma piada…

  2. Alguns tipos feios e desinteressantes, quando empoderados, sentem-se em condição de impor suas velhacarias às mulheres. Um homem galante e bem apessoado não precisa disso…

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare