230
No blog de Cosme Rimoli (porta R7) – Tudo amador e previamente arrumado. A festa estava preparada antes da luta começar. Infelizmente, lembrava demais vários combates de Adilson Maguila Rodrigues. A noite deveria ser do maior fenômeno que já lutou MMA, Фёдор Владимирович Емельяненко para os russos. Ou Fedor Emelianenko para o restante do mundo que o reverencia há décadas, como o melhor de todos…
O escolhido para ser sacrificado foi o brasileiro Fábio Maldonado. O ‘Caipira de Aço’ foi demitido do UFC. Por falta de recursos. O lutador de Sorocaba tem grande poder de absorção dos golpes. Seu boxe é muito bom. Mas só. Seu chão é fraquíssimo. Não tem o menor preparo no jiu jitsu.
Tudo deveria ser previsível. Ele faria o combate principal do Eurasia Fight Nights 50, evento não passa de uma triste caricatura do UFC. E que só demostrou a decadência financeira russa…

A maioria das apostas dava conta que o brasileiro seria esmagado no primeiro round. E era o que parecia que aconteceria nos dois primeiros minutos. Sua guarda esteve longe de ser perfeita e acabou tomando vários socos, principalmente cruzados. Mas quando a plateia vibrava, se antecipando ao nocaute, Fábio acertou um poderoso cruzado de encontro no queixo do herói dos russos. E na combinação, que solta automaticamente, o cruzado de esquerda na têmpora direita do russo.

Ele desabou, caiu. O brasileiro continuou a desferir socos, para desespero da plateia russa. Aí, o lendário Emelianenko voltou. Inacreditável como ele conseguiu sobreviver na luta. Apanhou até os braços do brasileiro se cansarem. Andou trôpego, bêbado. Tonto. Um guerreiro espantoso. Seu show não foi batendo, foi não sendo nocauteado…

O brasileiro venceu fácil. Com pelo menos dois pontos de vantagem. Garantia internacional pelo knockdown, na contagem do MMA. Não havia como dar outro resultado…

Resumo da ópera russa, Maldonado não perdeu o combate. De jeito algum. Só que não dá para ser ingênuo. Com Putin na plateia, tudo era possível. E foi.

Um jurado deu empate. Mas dois deram 29 a 28 para Fedor. Não consideraram 10 a 8 no primeiro round. A festa que estava armada, continuou. Caíram os papéis picados, a plateia vibrou. O ‘Último Imperador’ sorriu, sem graça.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare