5a7e31a5fefe77c931d124218bad8f85Esses dias eu li na imprensa gaúcha que o Grêmio vai receber uma verba extra de um de seus patrocinadores para não estampar uma nova marca em sua camisa. Isso mesmo. O clube negociou com a Umbro, fornecedora de material esportivo, um novo formato de patrocínio, que veta a aplicação de publicidade na região das omoplatas, acima do distintivo e da marca da fabricante da camisa.
A idéia é não poluir a camisa do time e isso vai de encontro ao que a maioria dos clubes brasileiros vem fazendo. O Palmeiras, por exemplo, está procurando patrocínio para as meias dos jogadores. E o Corinthians, depois de renegociar com a Caixa, ficou com mais espaço para colocar novos anunciantes no seu uniforme.
É evidente que a venda de patrocínio é uma fonte de renda que ajuda a bancar boa parte das despesas de um time de futebol. Mas o exagero nesse “merchan” pode macular a imagem da instituição.
Daqui a pouco, as camisas de times de futebol ficarão tão poluídas quanto o macacão de um piloto de F1. Ou mesmo um abadá carnavalesco.
c5d770d683543e6c2721a1725aa0e6a9

1 Comentário

  1. É feio, mas é necessário, rs.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare