downloadPor Lauro Jardim (Globo.com) – Uma cena recente mostrou como, apesar dos pesares, a CBF continua fortíssima no Congresso.

Há duas semanas, a Comissão do Esporte começou a votar um projeto que dá arrepios à confederação: a que torna a seleção brasileira patrimônio cultural brasileiro e, consequentemente, dá amplo acesso do Ministério Público aos contratos comerciais que a CBF conduz em nome da seleção.

Primeiro, deputados contrários ao projeto esvaziaram a comissão e ficaram apenas o autor do projeto, Silvio Torres, e o relator, João Derly.

Eis que, logo depois de Derly peitar e começar a ler o relatório pela aprovação do projeto, como num passe de mágica, começam a aparecer os deputados da bancada da bola, prontos para enterrar a proposta.

Derly abortou a missão, ao constatar que o projeto acabaria não aprovado.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare