Desde fevereiro de 2016 o Corinthians não exibe mais o nome da Caixa em seus uniformes. A Caixa pagava R$ 30 milhões ao Timão e sinalizou nas negociações que gostaria de manter o valor. O clube, porém, não aceitou, sobretudo depois que o banco passou a fechar contratos com mais equipes. O marketing alvinegro chegou a pedir R$ 37 milhões por ano, mas as conversas travaram.

Desde então, o Corinthians continua sem um patrocinador máster. Abriu mão de uma receita anual de R$ 30 milhões (o mesmo valor pago ao Flamengo, por exemplo), esperando que algum grupo empresarial se interessasse não apenas por exibir a marca em sua camisa, mas também de comprar o naming right do Itaquerão.

O dinheiro, com toda certeza, ez falta ao clube, que precisou vender varias jogadores para manter suas contas em dia. Como consequência, o time foi enfraquecido e hoje ainda corre o risco de ser rebaixado para a Serie B.

Enquanto isso, a Caixa acaba de renovar os contratos de três clubes nordestinos, Sport, Vitória e Bahia, devendo pagar R$ 6 milhões a cada um deles, com vigência até novembro de 2019.

Andrés Sanchez já prometeu à torcida que vai reforçar o time na próxima temporada. Resta saber se ele tem interesse em voltar a negociar com a Caixa ou se vai continuar buscando um patrocinador que simplesmente não existe no mercado.

3 Comentarios

  1. O 5ma11 quando renegociou o contrato com a Caixa estava em alta depois da conquista do BR2015. Devem ter pensado que 2016 seria mais um ano de vitórias e as empresas se estapeariam para patrocinar o timeco. Porém, tombaram.

  2. Na verdade, ao que me lembro, a CEF queria diminuir pra 25 milhões…

  3. Calma, para que tanta pressa, tanto o patrocinador master quanto o Names
    Wraite está prestes a assinar rs… essa frase já escutamos N anos.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare