No jornal O Globo

O cenário político do futebol brasileiro deve ser turbulento nas próximas semanas. Uma das partes mais atingidas pela proposta dos clubes da Série A em criar a sua própria liga, as federações estaduais ainda não se pronunciaram oficialmente sobre o assunto. Mas isso não quer dizer que elas estejam inertes ou indiferentes — muito pelo contrário.

Nesta quarta-feira, pelo menos três presidentes foram à sede da CBF conversar com Coronel Nunes, comandante interino da confederação, para tratar sobre o tema. Bateram à porta de Nunes os representantes de São Paulo, Pará e Santa Catarina. A ideia dos dirigentes é que sempre haja alguém na CBF para tratar do assunto.

A Federação Paulista de Futebol informou que seu presidente, Reinaldo Bastos, esteve na CBF para uma reunião que não aconteceu e que não é opositor da ideia da liga.

O pedido principal deles é de que a CBF não corrobore com a ideia dos clubes de diminuir o poder das federações nas eleições para escolha de presidente e vices da CBF. Hoje, federações somam 87 votos, e os clubes 60. O temor dos dirigentes não é apenas o de perder poder, mas também dinheiro. Há o medo de que com os clubes gerindo o seu próprio campeonato, a CBF diminua o volume de recursos repassados.

1 Comentário

  1. Essas federações estaduais são verdadeira máfias do futebol. Faturam muito com os péssimos torneios que comandam.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare