Matheus Cunha, reforço do Atlético de Madrid
Mais de 80 jogadores dos 510 que compõem a elite do futebol espanhol são de origem latino-americana. E embora tenha havido saídas importantes, a verdade é que em LaLiga ainda existem muitos dos nomes mais destacados do futebol sul-americano.
Atlético de Madrid, o plantel mais latino de LaLiga Santander
Como já acontecia nas temporadas anteriores, são os colchoneros que reúnem a maior presença latina no vestiário. Os indiscutíveis uruguaios José María Giménez e Luis Suárez, além dos brasileiros Felipe e Renan Lodi, o mexicano Héctor Herrera e o argentino Ángel Correa, dão boas-vindas a Rodrigo De Paul, o cérebro da Argentina campeã da Copa América e o jovem atacante brasileiro Matheus Cunha, medalha de ouro nas Olimpíadas de Tóquio. que chega para estimular ainda mais o ataque. É uma equipe que, sob a orientação do técnico argentino Diego Simeone, buscará revalidar o título da LaLiga Santander conquistado há pouco menos de três meses.
O Barça ainda segue o futebol latino
Se há uma equipe que busca se regenerar, é o FC Barcelona. Já sem Lionel Messi em suas fileiras, incorporou o atacante argentino Sergio Agüero. O ‘Kun’ chega a um vestiário onde vai encontrar brasileiros como o goleiro Neto Murara e Philippe Coutinho. O antigo jogador do Liverpool terá mais uma oportunidade de triunfar em um FC Barcelona que precisa dele mais do que nunca.
O Barça também conta com Ronald Araújo nas suas fileiras. O zagueiro uruguaio é provavelmente um dos jogadores de maior projeção na América Latina e, após brilhar como titular na última temporada, desta vez espera se consolidar no eixo defensivo do Barcelona.
Real Madrid, o time mais brasileiro da Espanha
Apesar de não ter feito nenhuma incorporação de futebolistas latinos, o Real Madrid continua a ser uma segunda casa para os jogadores brasileiros. Atualmente conta com cinco jogadores que já vestiram a camisa canarinha em alguma oportunidade. São os defensores Militão e Marcelo (o capitão dos Blancos), o meio-campista Casemiro e os atacantes Vinicius Jr. e Rodrygo. Aliás, Vinicius vem brilhando nas primeiras partidas do campeonato, puxando o time como nunca antes.
O técnico Carlo Ancelotti conta ainda com o meio-campista uruguaio Federico Valverde, uma das sensações da última temporada e com um futuro esplêndido, e Mariano Díaz, nascido nos arredores de Barcelona, mas de família com origem na República Dominicana.
O Sevilla FC conta com argentinos e brasileiros para lutar pelo título
A equipa andaluza quer continuar a crescer para aspirar de uma vez por todas o título de LaLiga Santander depois de chegar com chances matemáticas nos últimos dias da última edição. Já no inverno incorporou um dos meio-campistas da moda do futebol europeu, o argentino Papu Gómez, que sustentou uma equipe em que já brilhavam os brasileiros Diego Carlos (outro medalha de ouro em Tóquio) e Fernando Reges, ao lado dos argentinos Lucas Ocampos e Marcos Acuña. Este ano, o incomparável diretor esportivo sevilhano, Monchi, contratou a estrela da albiceleste Erik Lamela, que veio junto de seu compatriota Gonzalo Montiel .
Villarreal CF e Valencia CF, com latinos selecionados
O time amarelo, recém-campeão da Liga Europa, não tocou muito em seu time. Mas o técnico Unai Emery também continuará tendo três peças-chave em seu esquema: o goleiro argentino Gerónimo Rulli, que jogou os primeiros jogos de LaLiga Santander – na temporada passada estava reservado para a Copa del Rey e a Liga Europa. -; o versátil jogador argentino Juan Foyth e o equatoriano Pervis Estupiñán, que foi incluído na seleção da última Copa América.
Por outro lado, o Valencia incorporou o zagueiro paraguaio Omar Alderete e o atacante brasileiro Marcos André, do Real Valladolid, que encontrará o seu compatriota Gabriel Paulista e o também atacante, embora uruguaio, Maxi Gómez. Todos eles terão o desafio de devolver a equipe valenciana ao topo de LaLiga Santander.
Real Betis, Getafe CF e RC Celta confiam suas aspirações no futebol latino
São três times que tradicionalmente tendem a focar muito no futebol sul-americano para cumprir seus objetivos. O Real Betis, por exemplo, incorporou o argentino Germán Pezzella e o brasileiro Willian José, ex-São Paulo e Santos, que vão reforçar o elenco do experiente técnico chileno Manuel Pellegrini, que já conta com os mexicanos Andrés Guarded e Diego Lainez, o novo campeão da Copa América pela Argentina Guido Rodríguez e o goleiro chileno Claudio Bravo .
O Getafe CF, por sua vez, contratou o jovem atacante mexicano José Macías. É ele quem aumenta a qualidade de uma equipe que já conta com os uruguaios Erick Cabaco, Mathías Olivera, Damián Suárez e Mauro Arambarri. Além disso, no último dia de mercado, o clube contratou o zagueiro argentino Jonathan Silva, do CD Leganés.
No RC Celta também é comum ver uma grande representação de talentos latinos, a começar pelo próprio treinador Eduardo Coudet, que foi uma das revelações na temporada passada. Neste verão, ele foi reforçado pelos argentinos Franco Cervi e Matías Dituro – que rompeu com uma tradição de 8 anos de goleiros treinados na base do clube – e pelo veterano atacante brasileiro Thiago Galhardo, que se destacou com Coudet no Campeonato Brasileiro de 2020 pelo Internacional. No último dia de mercado, o time da Galícia fechou o empréstimo (pelo terceiro ano consecutivo) do zagueiro colombiano Jeison Murillo. Os três vão se encontrar com o mexicano Néstor Araújo, o peruano Renato Tapia -uma das sensações na temporada passada-, e o argentino Augusto Solari, que chegaram no mercado de inverno passado para devolver as aspirações europeias ao time galego.
RCD Espanyol e Rayo Vallecano adicionam dois reforços de luxo
Duas outras equipes com muito sabor latino. O RCD Espanyol, por exemplo, tem o uruguaio Leandro Cabrera liderando a defesa e acertou o empréstimo do venezuelano Yangel Herrera em um dos movimentos mais marcantes do último dia do mercado. A título de curiosidade, o seu grande astro, Raúl De Tomás, tem passaporte da República Dominicana graças à sua ascendência materna.
Acontece que o Rayo Vallecano também tem nomes ilustres nesta temporada. São os argentinos Esteban Saveljich e Óscar Trejo, com quem o time da faixa vermelha pretende buscar a permanência na elite do futebol espanhol. Como o RCD Espanyol, o time de Madrid também chocou no último dia do mercado de transferências, no seu caso garantindo a incorporação do superastro colombiano Radamel Falcao .
Elche CF, o time que incorporou mais latinos
Cinco jogadores latinos se juntaram à equipe de Alicante, cada um com suas peculiaridades. Por um lado, ele contratou os argentinos Iván Marcone, Lucas Boyé e o colombiano Johan Mojica, após os três já estarem no plantel franjiverde na temporada passada como jogadores emprestados e proporcionando um desempenho magnífico. O clube também contratou dois selecionáveis: o atacante argentino Darío Benedetto, do Olympique de Marseille (que pagou 14 milhões de euros em 2019 para tirá-lo do Boca Juniors, onde foi uma estrela), e o experiente zagueiro chileno Enzo Roco. Dois reforços de alta qualidade para o clube agora propriedade do empresário argentino Christian Bragarnik. Para completar, como cereja do bolo, o time anunciou a contratação do meia argentino Javier Pastore, vindo do PSG sem custos.
No vestiário da Elche, o colombiano Helibelton Palacios e os argentinos Pablo Piatti -que chegaram em março- e Guido Carrillo continuam atuando no segundo elenco com maior representação latina depois do Atlético de Madrid (incluindo a comissão técnica).
Chimy Ávila, Bacca, Conan Ledesma, Pellistri e outros jogadores latinos a considerar
Esta temporada de LaLiga Santander deve servir a vários jogadores latino-americanos darem mais um passo em direção ao estrelato. É o caso do atacante argentino Chimy Ávila, que provou ter cheiro de gol, mas sofreu lesões graves que dificultaram sua consagração no CA Osasuna. Por outro lado, está o infalível atacante colombiano Carlos Bacca, que chega ao Granada CF para começar em um ambiente imbatível ao lado de seus compatriotas Luis Suárez – de quem muito se espera este ano – Neyder Lozano, o venezuelano Darwin Machís e outros estreantes: O peruano Luis Abram, e o zagueiro Santiago Arias, vindo do Atlético de Madrid.
Também não devemos perder de vista o hondurenho Choco Lozano, atualmente no Cádiz CF que conta também com o argentino Marcos Mauro, o confiável zagueiro uruguaio Alfonso ‘Pacha’ Espino e, acima de tudo, o goleiro Conan Ledesma. O goleiro foi contratado pelo clube de Cádiz depois de uma magnífica temporada passada por empréstimo que o levou até a seleção argentina. Além disso, neste verão o clube incorporou dois jovens internacionais: o paraguaio Santiago Arzamendia e o chileno Tomás Alarcón.
Por outro lado, no RCD Mallorca estão mais dois jogadores latinos: o argentino Franco Russo e o compatriota recém-contratado Rodrigo Battaglia. Mas onde as expectativas reais aumentaram é no norte do país, com o empréstimo de Facundo Pellistri ao Deportivo Alavés pela segunda época consecutiva. Ele é um dos mais destacados jovens futebolistas uruguaios, com apenas dezenove anos, e é atleta do Manchester United, onde impressionou na pré-temporada deste verão. O clube vitoriano é, sim, o único dos clubes bascos com representação latina, já que nem a Real Sociedad nem o Athletic Club (lógico por sua regra auto imposta de se alimentar de jogadores formados no País Basco) têm jogadores da América Latina. Eles são os únicos em toda a LaLiga Santander. Embora, aliás, a equipe de La Real de fato incorporou o ponta mexicano Jonathan Gómez, de apenas dezessete anos, para o time B. E é que, mesmo nesses casos muito particulares, a conexão tradicional entre a América Latina e a Espanha é inevitável. LaLiga Santander também está maior graças a ela este ano.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare