Trecho da entrevista do ex-técnico argentino César Luis Menotti, ao jornal La Nación:
“É muito triste, o Brasil. Admirei muito seu futebol. Vivi e joguei lá e fui amigo de Rivellino, Tostão, Zito. Não sei como eles vão se sentir, mas diria a eles que façam um caminho contrário, que se inspirem em Caetano Veloso e outros poetas, que voltem a olhar um pouco as praias do Rio e comecem a sonhar um pouco com Pelé, porque perderam a identidade de uma maneira que não posso imaginar. Não quero falar de culpados, porque não acho que seja responsabilidade de Dunga. Vem de tempos no Brasil”.
weltmeister-und-kettenraucher-argentiniens-trainer-legende-cesar-luis-menotti-geht-stets-seinen-etwas-eigenen-weg-in-einem-land-voller-fussballtalent-und-sozialnot-1978-holt-seine-albic1

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare