O meu bom amigo Milton Neves é o maior defensor do mata-mata. Na sua coluna  no UOL Esportes ou nos programas da rádio e da TV Bandeirantes, Miltão costuma chamar o Brasileirão como um “torneio de amistosos”.
Pois agora que houve essa paralisação forçada do calendário, a possibilidade do mata-mata voltou a ser discutida, sobretudo por causa da falta de datas.
Entretanto, informa o ‘UOL de Primeira’, a dona dos direitos de transmissão de 56 jogos do Brasileirão 2020 na TV por assinatura, a Turner rejeita uma possível mudança de formato no Campeonato Brasileiro, saindo dos pontos corridos para o mata-mata. A mudança de formato pode reduzir pela metade as partidas a que o grupo tem direito, caso, por exemplo, apenas um turno seja realizado.
Da mesma forma, consultada por pelo menos quatro clubes que estão discutindo como fica o Brasileirão com a interrupção do futebol por causa da pandemia do Coronavírus, a Globo deixou claro que não vê como positiva um possível retorno do mata-mata no Campeonato Brasileiro. A questão financeira é o principal ponto apontado pela emissora carioca. Segundo apurou a De Primeira, a Globo acredita que o mata-mata resulte na queda de arrecadação de pay-per-view e faturamento para os clubes em todos os sentidos, já que o retorno desse formato diminuiria o número de jogos para a grande maioria dos times. 

1 Comentário

  1. Rapaz, acho que 2020 vai ser um ano perdido pro futebol. Meio inviável voltar à normalidade se as projeções das autoridade de saúde se confirmarem.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare