O Flamengo se fez valer de sua robustez financeira para não sofrer durante a pandemia do novo coronavírus, informa O Globo neste domingo. E recorreu a uma linha de crédito contratada ano passado no banco Santander, da qual sacou R$ 50 milhões, que serão despejados no caixa único do clube como capital de giro, ou seja, para pagamento de dívidas e contratações que estão para vencer.
A principal razão da diretoria do presidente Rodolfo Landim para recorrer ao empréstimo foi a perspectiva do não recebimento de recursos de patrocinadores, especialmente a Adidas. Sem eles e sem bilheteria, o clube já começou a renegociar o pagamento das parcelas de compras de seus jogadoers e a comissão dos empresários.
Bem ao contrário do seu grande rival, o Vasco  – segundo a coluna de Gilmar Ferreira, no jornal Extra – já começa a tomar medidas práticas quanto ao ajuste no orçamento em consequência dos estragos causados pela Covid-19.
Está no forno uma severa redução na folha, com corte de pessoal nas áreas de serviços gerais, manutenção, segurança, e portaria.
Além, é claro, das reformulações orçamentárias nos departamentos de futebol profissional e de base.
O estudo feito com a auditoria da KPMG visa rebaixar em 20% as despesas, uma vez que o clube não tem como negociar a redução salarial com os atletas.
O Vasco não pagou nenhum mês de salário dos jogadores em 2020 – a última folha quitada foi a de dezembro.

2 Comentarios

  1. Mas isso era de se esperar. O Flamengo é muito mais estruturado. O Vasco há anos tá ladeira abaixo. 😥

  2. Normal. Pela situações financeiras dos clubes.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare