‘La Estrella’, do Panamá
Empatamos com o Panamá, um adversário inexpressivo que ainda criou algumas chances ao gol de Ederson. É o tipo de amistoso que não serve para nada, a não ser para se expor a esse ridículo.
Edu Gaspar disse durante a semana que não há no mundo seleções fortes dispostas a enfrentar o Brasil em amistosos. Segundo ele, essa dificuldade de encontrar é antiga. “Tentamos amistosos contra rivais fortes da Europa, por exemplo, mas ninguém quer jogar contra o Brasil, mesmo aqueles que estão com datas livres”, disse Gaspar.
Tite escalou um time alternativo, cheio de promessas de renovação, que não jogou nada. Pra ser sincero, não gostei de quase ninguém. Diria que, para a Copa América, somente 3 ou 4 desses meninos vão estar entre os titulares.
Uma seleção como a do Brasil, quando enfrentar adversários assim só tem um uma opção: ganhar de goleada e dar show.
Se não for capaz de fazer isso, é melhor fazer um treino coletivo para evitar esse vexame.

6 Comentarios

  1. Melhor que a Argentina que levou uma trauletada da Venezuela. Felipe Coutinho é apenas um coadjuvante, deveria ter saído no lugar do Firmino.

  2. Jogadores todos descompromissados com a Seleção, geração nutella. Não sei onde vamos parar, esse empate foi vergonhoso.

  3. A parte boa é que eu não vi o jogo e já previa algo do tipo…esses novinhos (incluindo Negueba II) são todos ótimos candidatos a coadjuvantes. Previu Pai Paulo, o profeta que (quase) não erra…

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare