Nada parece conter a derrocada do Cruzeiro, que ontem perdeu por 1 a 0 para o Vasco, em São Januário, pelo complemento da 36ª rodada do Campeonato Brasileiro. O colombiano Guarín, em chute de fora da área, marcou o único gol da partida, aos 10 minutos.
Com esse resultado, o Cruzeiro segue em 17º lugar, com 36 pontos, e pode ser matematicamente rebaixado na 37ª rodada. A queda à Série B acontecerá se houver derrota para o Grêmio na quinta-feira em Porto Alegre, e o Ceará (16º, com 38) somar ponto diante do Corinthians, na quarta, no Castelão, em Fortaleza.
Além da humilhação que causará aos seus milhares de torcedores, o rebaixamento para um time como o Cruzeiro arrebenta as suas finanças.
Basta fazer uma conta simples. Sem contar a verba da TV Globo, os 20 clubes da Série A dividem igualitariamente uma verba da CBF da ordem de  R$ 440 milhões (R$ 22 milhões para cada um). No acordo, 75% da cota (R$ 16,5 milhões) foram pagos entre janeiro e junho  – com repasses mensais de R$ 2,75 milhões. No segundo semestre receberam os 25% restantes (R$ 5,5 milhões) –  com repasses mensais de R$ 916 mil.
Na Série B a conversa é outra. Nesta temporada 2019, o repasse bruto para os 20 times foi de R$ 160 milhões, sendo R$ 8 milhões pra cada um. Só que todos os times sofreram “corte” de R$ 2 milhões neste valor para bancar toda a logística da competição. Sobrou a mixaria de R$ 6 milhões na CC dos participantes.
Se você é cruzeirense, tem razões de sobra para estar em pânico

2 Comentarios

  1. Só um milagre pra salvar esse timeco do Cruzeiro.

  2. Não conseguiu ganhar do Avaí e nem do CSA em casa, com todo respeito, merece e muito ser rebaixado.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare