O Atlético-MG, de Jorge Sampaoli, começou o Brasileirão arrasador, derrotando o Flamengo no Maracanã e engrenando três vitórias consecutivas. Foi o bastante para que alguns analistas começassem a trata-lo como favoritíssimo ao título.
Nesta quarta-feira, entrou em campo, contra o Botafogo, com a obrigação de ganhar para confirmar todas as previsões otimistas. Levou um gol no primeiro tempo; partiu pra cima do adversário, deu espaço, tomou um contra-ataque e levou o segundo gol. Aí ficou tarde demais para virar.
Foi uma frustração imensa, porque o próprio Sampaoli – depois de desbancar o Flamengo – estava acreditando que não teria mais adversários capazes de enfrenta-lo de igual para igual.
Não é bem assim. O campeonato é longo e ainda tem muita estrada a ser percorrida. O Galo precisa tomar cuidado para não converter a sua caminhada no tradicional “vôo de galinha”.
Você já viu uma galinha voar? Ela até tenta, mas o máximo que consegue são pequenos voos, que além de serem a curta distância, são baixos. A galinha dá uma espécie de “convulsão” de voo, mas na prática, não alcança seu objetivo.
Pode ser isto. Ou não.

1 Comentário

  1. Perder pro Botafogo não dá. Essa surpreendeu.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare