2a2bc608dbdc79f80c3639d1b461b432No jornal Lance (Por Fellipe Lucena) – Cleiton Xavier ficou oito meses sem jogar. Foram três graves lesões musculares ao longo do mais recente período de inatividade, de agosto de 2015 a abril de 2016. Muitos palmeirenses se irritaram e questionaram se seria possível ver o camisa 10 atuando de novo em alto nível, mas essa dúvida nunca passou pela cabeça dos profissionais do clube.
O extenso período de recuperação depois da última lesão (grau 3 na panturrilha direita), sofrida em 15 de janeiro, fez parte de um planejamento elaborado pelo Palmeiras para reabilitar o atleta e torná-lo menos vulnerável a lesões.
Com o consentimento de diretoria e comissão técnica, os preparadores físicos e fisioterapeutas do Verdão decidiram dar um passo para trás, deixando o armador afastado do time durante toda a primeira fase do Estadual e de grande parte da Libertadores, para depois dar dois passos à frente, transformando-o em um atleta mais forte e resistente, pronto para ser opção nesta reta final de primeiro semestre e para todo o segundo.
3b12da91c5d04b828d071da27caaf15b
Comentário meu – A julgar pela experiência que o Palmeiras teve com Valdivia, é difícil imaginar que o clube seja capaz de colocar Cleiton Xavier em forma para uma sequencia de jogos.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare