No jornal O Globo

A possíbilidade de uma final brasileira na Libertadores fez os preços e as buscas por hotel e voos para Montevidéu dispararem nos principais sites. Com a presença do Palmeiras confirmada, por exemplo, praticamente não há ofertas de hospedagem para o fim de semana da decisão, que acontece dia 27 de novembro, um sábado. No Booking, há apenas um quarto no valor de cerca de R$ 4 mil a diária na capital uruguaia.

Ainda há voos para Montevidéu partindo tanto de São Paulo quanto do Rio, mas com preços salgados. Do Rio, seja com saída na sexta-feira (dia 26) ou no dia da decisão (dia 27), o torcedor pagará pelo menos R$ 6 mil, com parada, e, no mínimo, seis horas de voo. Há opções de R$10 mil, que duram praticamente um dia de viagem.

Da capital paulista, é possível chegar mais rápido com voos diretos saindo no dia 26 e pagando pouco mais de R$4.500. Já no dia da final, as opções são parecidas com as do Rio.

As buscas e reservas de passagens e hotéis acontecem antes mesmo de a Conmebol anunciar se haverá público ou não liberado no Estádio Centenário. Também não há qualquer previsão de início das vendas de ingressos. Mas, desde semana passada, os rubro-negros já haviam começado a comprar pacotes para Montevidéu com voos fretados por operadoras de turismo.

A liberação do público para a final depende exclusivamente do governo uruguaio. As autoridades locais já liberaram, recentemente, torcida em jogos da Sul-Americana. Porém, até o momento, ainda não há uma decisão oficial. Por enquanto, a Conmebol trabalha com as três possibilidades: estádio vazio, público parcial e público total. Para todas elas, promete uma operação ligeira.

Em agosto, o governo do Uruguai havia anunciado a abertura das fronteiras aos estrangeiros a partir de 1º de novembro – há sempre a possibilidade de revogação das decisões durante a pandemia. Entre as exigências aos brasileiros, estão o comprovante de vacinação (de preferência o gerado em espanhol pelo aplicativo Conecte SUS) e a apresentação de um teste RT-PCR negativo para Covid-19 feito até 72 horas antes da viagem. E para voltar para o Brasil também precisa fazer um PCR.

Passando por reformas no gramado e nos vestiários, o Centenario tem capacidade total para cerca de 60 mil pessoas. Um público considerado para a cidade de pouco mais de um milhão de habitantes. Segundo dados do turismo, antes da pandemia, o país todo recebeu pouco mais de 450 mil brasileiros em 2018. Este número foi um pouco maior em 2019.

Ter a capacidade total permitida siginfica que a capital receberia em um fim de semana praticamente 15% de todos os viajantes brasileiros que visitaram o Uruguai em 2018.

A capital uruguaia também vai receber as finais da Sul-Americana (dia 20) e da Libertadores feminina (dia 21).

3 Comentarios

  1. Os dois podem até merecer, mas uma final entre Timecos do mesmo país já é sem graça, exceto para os torcedores envolvidos, óbvio; entre os dois últimos campeões, então, é ainda mais chato. Mas ambos fizeram por onde. Mérito total deles.

  2. Se formos considerar o “banho” que a torcida do River deu nos flamenguistas em Lima, em nº e no gogó, vai sobrar lugar no Centenário. Talvez, por ser mais perto, eles consigam por 20/30 mil torcedores, e o Palmeiras, idem…

  3. Quando os dois Times são de um mesmo país , o jogo deveria ser no país dos dois times.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare