No blog de Daniel Brito (UOL Esportes) – O empresário Neymar da Silva Santos, pai do atacante Neymar, foi convidado a comparecer à CPI da Máfia do Futebol, na Câmara dos Deputados em Brasília. Os parlamentares colocaram em votação o convite para Neymar pai “colaborar” com a comissão. O deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) manifestou-se contrário ao convite e deu início a um debate.

O requerimento de Fernando Monteiro (PP-PE), relator da CPI, pedia a convocação sob a alegação de que Neymar pai pudesse “colaborar para esclarecer aspectos relacionados a contratos de marketing, direitos de mídia, patrocínios e eventos envolvendo a Confederação Brasileira de Futebol (CBF)”.

Maia se opôs ao requerimento. “Sou contra o chamamento dele [Neymar pai], assim como do Dunga porque não é bom para o futebol brasileiro. Eu até estou com raiva do Dunga, porque cortou o [goleiro] Jéfferson da seleção, mas não acho que seja assunto para esta CPI”, argumentou Rodrigo Maia.

Monteiro rebateu: “Como ele é pai de jogador, quero convidá-lo como colaborador, para tratar de um problema da base, da relação da família com empresário e com o clube”. Arnaldo Jordy (PPS-PA) corroborou com o parlamentar de Pernambuco. “Que não se confunda com o ídolo do futebol que é o jogador Neymar, mas o pai dele é importante para esclarecer as denúncias de irregularidades. Como gerente dos negócios, há questionamentos sobre sonegação fiscal. Não podemos nos privar de enfrentar o que tem de ser enfrentado. ainda que reflita num ídolo de todos nós.”

Rodrigo Maia manteve-se firme. “Tudo bem, deputado Arnaldo Jordy, mas ele pode ser convocado para outra CPI, não para esta aqui, não tem nada a ver”. Fernando Monteiro retrucou: “Quero convidá-lo como colaborador, ele não está sendo investigado pela CPI, mas convidado. Não custa nada a quem quer colaborar. Ele vem apenas como pai. Se não quiser, não vem. Mas não custa nada”.

Em votação simbólica, o convite a Neymar pai foi aprovado, mas Rodrigo Maia pediu verificação dos votos. Após 25 minutos, abriram-se os votos no painel e o convite ao empresário foi aprovado por 14 votos a favor do convite, um voto contrário e uma abstenção.

J.Hawilla e Marin terão de depor
A sessão desta terça-feira, 26, aprovou o depoimento do empresário J. Hawilla e do ex-presidente da CBF, José Maria Marin. Ambos estão em Nova York, o cartola em regime de prisão domiciliar. Os requerimentos aprovados tanto servem para que uma comitiva da CPI vá aos Estados Unidos para colher estes depoimentos como também para que comparecessem à Câmara dos Deputados. É preciso, no entanto, que a Justiça dos Estados Unidos autorize que a comitiva vá colher o depoimento em território americano – ou que Hawilla e Marin regressem ao Brasil.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare