O presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, e o banco Itaú entraram num acordo no processo que travavam na Justiça. Landim havia sido condenado a pagar R$ 10 milhões ao banco. A informação é de Lauro Jardim, em O Globo. Ele deixará de pagar a indenização e desistirá de recorrer, extinguindo assim o processo. Também vai retirar o Itaú da lista de réus em um outro processo, em que ele estava ganhando, que atualmente está no STJ.
Landim processou o Itaú por causa de ações da OGX que ele queria vender. Ex-presidente da empresa, Landim possuía 5,5 milhões de ações da empresa quando deixou o grupo de Eike Batista. Assim que se desligou, tentou vender as ações, mas seu pedido foi recusado pelo Itaú, banco que custodiava as ações da empresa. Segundo consta no processo, havia uma cláusula no contrato entre a OGX e o banco determinando que as ações não poderiam ser vendidas imediatamente e que uma carência deveria ser cumprida.
O atual presidente do Flamengo alegou que por causa da negativa do banco em vender as ações, teve um prejuízo de R$ 100 milhões — e queria que o valor fosse pago como indenização.
O juiz Guilherme Kalil da 35ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro considerou que o banco cumpriu o que estava estabelecido em contrato e não aceitou os argumentos de Landim. Além disso, condenou-o a pagar 10% do valor da ação como custas honorários advocatícios. Ou seja, R$ 10 milhões.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare