Sempre que chegou à última rodada em segundo e com chances de título, Real perdeu; do outro lado, dez dos 11 títulos da LaLiga por parte do Atleti foram conquistados no último dia

De acordo com a história da LaLiga, deu a lógica no último final de semana. Quando o árbitro decretou o final do duelo entre Real Valladolid e Atlético de Madrid em Mendizorroza, o clube Colchonero fez o está acostumado: conquistou o título da LaLiga na rodada final. Isso aconteceu em nada menos que 90.9% das taças levantadas pelo time da capital na principal competição do país.

Sim, dez dos 11 títulos de LaLiga por parte do Atlético foram conquistados desta forma. Além disso, nas também 11 vezes em que o arquirrival Real Madrid chegou à rodada decisiva em segundo e ainda com chances matemáticas de título… acabou perdendo.

Que o Atleti está acostumado a fazer as coisas da maneira mais difícil, todo mundo já sabe. E isso começou logo no primeiro título do clube na história da LaLiga, na temporada 1939/1940, quando a conquista só foi sacramentada na rodada final, quando o então Athletic Aviación terminou com 29 pontos, somente um a mais que o Sevilla FC. Feito repetido logo no ano seguinte, em 1940/1941, agora trocando o vice-campeão: terminando dois a mais que o coirmão Athletic Club de Bilbao.

Bilbao.

Ainda no fim da década, em 1949/1950, o Atleti foi novamente campeão da LaLiga – pela terceira vez, até então -, e fez isso de novo na rodada final. Agora, terminando com um único ponto a mais que o RC Deportivo de La Coruña (e dois a mais que Valencia CF e Real Madrid). Algo que, novamente, foi repetido na temporada seguinte, em 1950/1951. Quando o clube Colchonero levantou a importante taça com 40 pontos, dois a mais que o Sevilla FC.

Nos anos 1960, isso foi feito em mais duas oportunidades: na temporada 1965/1966, com o Atlético sendo campeão com novamente um ponto de vantagem – na ocasião, sobre ninguém menos que o grande rival Real Madrid; e em 1969/1970, deixando o coirmão Athletic Club mais uma vez na segunda colocação, e de novo com somente um ponto de vantagem. Haja emoção. Porque isso foi refeito em mais duas edições da LaLiga ao longo da década de 1970: em 1972/1973, com dois pontos a mais que o FC Barcelona; e em 1976/1977, repetindo a conquista sobre o clube catalão, mas por só um ponto.
A

única vez em que a conquista do título nacional não veio na rodada decisiva, foi na temporada 1995/1996 – bem quando o clube acabou com um longo jejum de títulos, contando com ninguém menos que Diego Simeone entre os atletas principais. Na ocasião, o Atleti foi campeão com quatro pontos de vantagem em relação ao Valencia CF. Nesta temporada, o Real Madrid não conseguiu nem a classificação às competições europeias, terminando na sexta colocação.

Mas, isso foi uma conquista fora da curva atleticana. Já que logo em 2013/2014, no último título de LaLiga até então, a taça só foi levantada na rodada 38. E graças ao histórico gol do uruguaio Diego Godín, que igualou a disputa em pleno Camp Nou – o Barça havia aberto o placar com Alexis Sánchez – e fez do Colchonero o mais novo decacampeão da LaLiga. Agora, em 2020/2021, Simeone seguiu a escrita e mesmo depois de abrir dez pontos de vantagem sobre o então vice-líder catalão, coroou a conquista sobre o Real Madrid no último sábado (22).

Curiosamente, o já citado Real Madrid nunca conseguiu ganhar o título ao entrar no último dia na segunda posição. Em 11 ocasiões, eles chegaram à rodada final em segundo e com possibilidades matemáticas de se tornarem campeões, em 1934, 1935, 1936, 1953, 1960, 1966, 1981, 1984, 2010, 2016 e agora em 2021. 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare