Há apenas 3 anos, Dunga convocou a Seleção Brasileira que disputou a Copa América Centenário, que foi disputado nos Estados Unidos. Três anos depois, a convocação para a mesma competição será feita de novo, dessa vez pelo técnico Tite. Hoje, às 11h, ele deve apresentar uma lista que tem muitas mudanças e alguns detalhes iguais. A reportagem é do site da Rádio Jovem Pan.

Dunga era o técnico da seleção na época

Marquinhos (Paris Saint-Germain-FRA): agora com 25 anos, ganhou mais moral no PSG e na Seleção. É titular absoluto.

Filipe Luís (Atlético de Madrid-ESP): disputa posição com Alex Sandro e Marcelo. Mas como o jogador do Real Madrid está em baixa e ele segue regular, acaba tendo mais chances.

Renato Augusto (Beijing-CHN): apesar do desempenho discreto na Copa de 2018, Tite foi até a China para observá-lo e quer ter mais um meia no elenco.

Casemiro (Real Madrid-ESP): ganhou moral no Real e na Seleção. Agora é o segundo capitão do time de Tite.

Alisson (Internacional): foi para Roma, depois para o Liverpool e se consolidou como um dos melhores goleiros do mundo.

Ederson (Benfica-POR): foi para o Manchester City-ING e é titular absoluto no time bicampeão inglês.

Daniel Alves (Barcelona-ESP): não disputou a Copa de 2018 por causa de uma lesão. Recentemente se recuperou da lesão e tem pouca concorrência na lateral direita, então deve ser chamado.

Fabinho (Monaco-FRA): demorou para se firmar no Liverpool, mas virou titular nos últimos seis meses. Na Seleção já chegou a jogar como lateral direito.

Philippe Coutinho (Liverpool-ING): foi para o Barcelona-ESP, não se firmou e está em má fase. Mas tem moral com Tite e dificilmente não será convocado.

Douglas Costa (Bayern de Munique-ALE): foi para a Juventus e alternou bons e maus momentos. A concorrência não é fácil para se firmar na ponta, mas a experiência dele pode fazer diferença.

Miranda (Internazionale-ITA): virou reserva nesta temporada e provavelmente sairá da Inter. Na Seleção ele segue recebendo algumas convocações, principalmente pela falta de melhores concorrentes.

Gil (Shandong Luneng-CHN): em 2016 ele tinha acabado de ir para China. Depois da Copa América, ele “desapareceu” por lá e não tem sido lembrado por Tite.

Willian (Chelsea-ING): depois de receber chances nas Copas de 2014 e 2018, provavelmente perderá espaço, até porque está irregular no Chelsea e tem forte concorrência nas pontas.

Rafael Alcântara (Barcelona-ESP): chegou a sair para Inter de Milão, por empréstimo, e se destacou. Mas sofreu uma lesão quando voltou ao Barcelona e foi pouco aproveitado.

Rodrigo Caio (São Paulo): foi para o Flamengo e está recuperando a carreira neste semestre, mas ainda parece cedo para voltar à Seleção.

Douglas Santos (Atlético Mineiro): está no Hamburgo, joga com frequência, mas caiu para a 2ª divisão alemã na temporada passada.

Luiz Gustavo (Wolfsburg-ALE): há duas temporadas está no Olympique de Marselha. Lá joga como zagueiro muitas vezes.

Elias (Corinthians): foi para o Sporting-POR, mas logo voltou ao Atlético-MG e tem jogado com frequência, mas sem o mesmo destaque de antes.

Lucas Lima (Santos): chegou ao Palmeiras no ano passado e teve bons momentos. Mas em 2019 está virando uma das últimas opções no meio-campo.

Hulk (Zenit-RUS): saiu para o futebol chinês e é um dos destaques do Shanghai SIPG, campeão nacional na temporada passada.

Gabigol (Santos): teve uma trajetória bem irregular desde 2016. Chegou a defender a Inter de Milão, mas não teve sucesso e voltou para o Santos. Em 2019 está fazendo boa temporada no Flamengo.

Ricardo Oliveira (Santos): acertou transferência para o Atlético-MG no começo do ano passado e é titular do Galo, aos 39 anos.

1 Comentário

  1. Se ninguém quer saber desta convocação, imagine da de 4 anos atrás. Eu só vou me empolgar de novo com seleção na próxima Copa. E mais pelo evento em si, por tudo que ele representa, que por esses jogadores/ técnico imprestáveis.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare