Romário apresentou um projeto para acrescentar um artigo à Lei Pelé – informa Lauro Jardim, em O Globo – que prevê as normas gerais sobre a prática do esporte no Brasil:

“Nenhum atleta poderá ser punido com as penalidades previstas neste artigo ou enquadrado em qualquer infração disciplinar devido a uma manifestação de natureza política, salvo se houver ofensa direta e expressa, durante a disputa de uma competição, a um de seus participantes, patrocinadores ou organizadores”.

O senador justifica que a Constituição de 1988 diz que “é livre a manifestação de pensamento, sendo vedado anonimato”. E faz referência ao caso de Carol Solberg, punida por ter gritado “Fora, Bolsonaro”:

“Diante de fatos recentes em que a justiça desportiva se prestou ao papel de referendar punições de natureza disciplinar para atletas por meio de equivocadas interpretações jurídicas sobre manifestações de natureza política, restou forçoso deixar claro e evidente na legislação pátria, em seu diploma legal específico do esporte, a vedação de natureza constitucional ao óbice desse preceito fundamental consagrado de nossa Carta Magna”.

3 Comentarios

  1. Isso vem logo do cara que quis censurar Pelé com aquela famosa frase?

  2. Esses são os ditos representantes do povo, não passa de um surfista midiaticos. Para ajuda-lo , já que não tem criatividade e nem o que fazer.Elabore uma lei para libertar os clubes do monopólio de determinados órgãos de imprensa, o Maia , deputado de seu estado deixou a MP caducar.Como diz o ditado, quem não tem o que fazer, nada faz.

  3. A questão é simples. Se não pode criticar, também não pode elogiar. Mas para os bozoloides se você criticar o “Minto” é porque você é esquerdopata, comunista, petista, lulista entre outros.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare