O futebol brasileiro sempre na vanguarda, sempre saindo na frente do resto do mundo.
Recém-contratado pelo Rio Branco, do Acre, o goleiro Bruno terá que usar tornozeleira eletrônica de forma ininterrupta enquanto cumpre pena em regime semiaberto no estado. A decisão foi do juiz Hugo Torquato, da Vara de Execuções Penais, após pedido do Ministério Público do Acre. A determinação considera o fato de reeducados em regime aberto no estado terem que usar o equipamento.

“Os reeducandos no regime semiaberto no Acre usam tornozeleira eletrônica. Outros estados não sei, alguns usam e outros não, mas aí vai de cada estado. No Acre usa. Não poderia ser diferente dele, porque ele não é melhor que ninguém, não é porque ele é famoso que não vai colocar”, disse o promotor de justiça Tales Fonseca Tranin, da 4ª Promotoria Criminal de Execução Penal.

3 Comentarios

  1. Inaceitável esse monstro voltar a ativa. Um tapa na cara de todos nós.

  2. É um absurdo e inaceitável, um clube de futebol contratar esse criminoso.

  3. Em um país cuja população tem histórico de romantizar bandidos, onde até pedófilos e estupradores tem progressão de pena, não surpreende que o goleiro Bruno, o mentor intelectual do assassinato de Eliza Samúdio, esteja desfilando nos gramados brasileiros ainda que por clubes com pouca ou nenhuma importância no cenário nacional. Fosse eu presidente de clube jamais aceitaria em ter um assassino misógino usando a camisa de minha instituição, mas tem gente que gosta de virar destaque negativamente.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare