Enquanto Globo, SBT, Band e RedeTV brigam entre si para reforçar as suas programações esportivas,  a Record, que já gastou bastante com o esporte olímpico,  parece não estar nem aí.Reportagem do UOL Esportes informa que a emissora é a única entre as grandes nacionais que deixa claro que não quer mais eventos esportivos.
Antes da pandemia, a TV de Edir Macedo tinha um núcleo esportivo com 30 profissionais e produzia o semanal “Esporte Fantástico” nas manhãs de sábado. Em julho, chegou a anunciar o retorno do programa, mas cancelou a volta porque o telejornal “Fala Brasil” aos sábados chegou a ganhar da Globo em audiência.
Todos os profissionais antes no Esporte agora atuam no Jornalismo, o que criou situações insólitas: Lucas Pereira, narrador da Record desde 2012 e com história no Grupo Globo, está fazendo matérias policiais. A emissora também não dá espaço ao esporte em seus noticiários diários. Na semana passada, segundo monitoramento do UOL Esporte, apenas duas reportagens foram realizadas para o “Fala Brasil” e para o “Jornal da Record”. É como se o Esporte não existisse.
A Libertadores foi oferecida, mas não empolgou os executivos da emissora da Barra Funda. Curioso é que a Record tem o direito dos Jogos Pan-Americanos de 2023, no Chile, e da Internacional Champions Cup, torneio de pré-temporada de clubes da Europa. Então, por que ela descarta ampliar os investimentos? Nem seus funcionários entendem.
No ar entre 21h30 e 23h24, o jogo narrado por Téo José marcou média de 9,9 pontos, e ficou em terceiro lugar na audiência. A Globo, com uma partida do Corinthians pelo Campeonato Brasileiro, ficou com 23,6 e a Record, exibindo a novela Jesus e A Fazenda, marcou 11,0 pontos.

1 Comentário

  1. Pois é. Saudades do futebol na Record…

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare