No Correio Brasiliense (Por Marcos Paulo Lima) – Pela terceira vez em 10 anos a Libertadores tem três clubes que foram campeões do torneio ao menos uma vez classificados para as semifinais. Boca Juniors, São Paulo e Atlético Nacional estão entre os candidatos ao título, mas não conseguirão repetir o feito de 2009, quando todos os quatro candidatos à taça — Grêmio, Cruzeiro, Estudiantes e Nacional-URU tinham estrela no peito. O último semifinalista de 2016 sairá do duelo entre Pumas e Independiente del Valle.

A um título do recorde do Independiente, o hexacampeão Boca Juniors é um deles depois de desbancar o Nacional, do Uruguai, nos pênaltis, em Buenos Aires. Por sinal, foi a décima decisão por pênaltis do clube argentino na história do principal torneio de clubes das Américas, com o impressionante retrospecto de sete vitórias e três derrotas.

Tricampeão continental em 1992, 1993 e 2005, o São Paulo despachou o Atlético-MG e vai ter a chance de ser o brasileiro com mais títulos na história da Libertadores. Hoje, divide a liderança com o Santos (1962, 1963 e 2011).

Outra camisa pesada, daquelas que entortam varal, é a do Atlético Nacional. Dono da melhor campanha desta Libertadores, o clube campeão em 1989 protagonizou a classificação mais épica das quartas de final ao derrotar o Rosário Central por 3 x 1 em um Estádio Atanásio Girardot inflamado por uma torcida fanática. Atlético Nacional e São Paulo decidirão uma vaga à final da Libertadores. Uma espécie de tira-teima. Recentemente, o São Paulo eliminou e foi eliminado pelo Atlético Nacional na fase de mata-mata da Copa Sul-Americana. Uma curiosidade nesse confronto é que os técnicos Reinaldo Rueda e Edgardo Bauza são herdeiros do trabalho de um treinador em comum: o colombiano Juan Carlos Osorio comandou Atlético Nacional e São Paulo antes de arrumar as malas para assumir a seleção do México. Mera coincidência.

O único semifinalista sem título será conhecido na próxima terça-feira. Pumas, do México, e Independiente del Valle, do Equador, podem ser considerados os intrusos na festa, mas há um detalhe: três dos últimos quatro campeões da Libertadores foram inéditos. Corinthians (2012), Atlético-MG (2013) e San Lorenzo (2014) chegaram às semifinais sem o título no currículo e bordaram a primeira estrela no peito. Em 2015, a tradição do River Plate fez a diferença.

copa-bridgestone-libertadores

Semifinalistas em 10 anos
Com asterisco, os clubes que já tinham ao menos um título

2016: São Paulo*, Boca Juniors*, Atlético Nacional* e Pumas ou Independiente del Valle
2015: River Plate*, Guraní, Internacional* e Tigres
2014: Nacional-PAR, Defensor, San Lorenzo e Bolívar
2013: Olimpia*, Independiente Santa Fé, Newell’s Old Boys e Atlético-MG
2012: Santos*, Corinthians, Boca Juniors* e Universidad de Chile
2011: Santos*, Cerro Porteño, Peñarol* e Vélez Sarsfield*
2010: Guadalajara, Universidad de Chile, Internacional* e São Paulo*
2009: Cruzeiro*, Grêmio*, Estudiantes* e Nacional-URU*
2008: América-MEX, LDU, Boca Juniors* e Fluminense

2007: Grêmio*, Santos*, Cúcuta e Boca Juniors*

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare