unnamed (3)
Outra exibição do Brasil. E não foi apenas por causa do resultado, da vitória.  É uma questão de postura, diante de um adversário forte e que tem muita qualidade. 
É preciso reconhecer que a seleção brasileira, sob o comando de Tite, mudou radicalmente o seu jeito de jogar. É um time solidário e compacto. Sabe sair jogando e valoriza bem a posse de bola.
Poderia ter matado o jogo no primeiro tempo, quando criou duas ou três boas chances, depois de marcar no comecinho com Miranda, de cabeça. Não precisava ter sofrido tanto.
Alguns, como Marcelo, Casemiro, Renato Augusto e Neymar, tiveram brilho individual, mas o forte é o conjunto. O segundo gol, marcado por Neymar, teve a participação de quase todo o ataque. Gabriel Jesus, muito marcado, foi importante taticamente, fazendo o papel de pivô.
O mais importante de tudo é que, em apenas dois jogos, o Brasil de Tite resgatou o seu prestígio e o respeito dos adversários.
Quanto tempo perdemos insistindo com o mau humor de Dunga?
Melhor esquecer o passado e mirar o futuro promissor que temos pela frente.

1 Comentário

  1. Pois é, duas vitórias contra adversários difíceis, e de quebra um bom futebol praticado pela Seleção, com tudo isso e mais a conquista do ouro olimpíco o Brasil da uma levantada na autoestima.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare