Precisando conquistar a Copa América para não ver seu trabalho visando o Mundial do Catar minado – ou até mesmo interrompido – três anos antes, Tite preferiu ser ortodoxo e renovou pouco a seleção que ganhou domingo a competição continental. O treinador repetiu 14 nomes que fracassaram na Copa da Rússia. Agora, ele deverá aproveitar que o próximo compromisso oficial será apenas no ano que vem e acelerar a renovação do elenco.
É o que mostra uma boa reportagem do Estadão, assinada por Ciro Campos e Marcio Dolzan, que faz ainda um balanço de quem subiu e quem caiu no conceito de Tite, após a conquista da Copa América.

3 Comentarios

  1. É mais ou menos isso, também, na minha avaliação. Só ressalto o caso do comedor de bananas, pois estará muito velho em 2022. Podemos começar a perder a Copa por aí…

  2. Philipe Coutinho deve estar num inferno astral. Cebolinha mitou mesmo. Se deu bem como ninguém.

  3. Cebolinha? Menos, Batista…menos!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Logo Qualitare